ICEx UFMG - Notícias do Icex
Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

 

Com a presença de professores, empresários, técnicos do governo federal e estadual, foi lançado no BH-TEC, ao lado da UFMG, o Centro de Tecnologia em Nanotubos de Carbono.  O Centro, pioneiro no país, exemplifica o sucesso da parceria Universidade-Empresa na transferência de tecnologia para o desenvolvimento tecnológico.

O coordenador geral do Centro e professor do Departamento de Física, Marcos Pimenta, contou que este sonho começou em 1998 com o início das pesquisas e que só foi possível com a participação das entidades, empresas, instituições estadual, federal e municipal e que, em breve a UFMG vai colher belos frutos. Inicialmente, o centro vai produzir 1 kg de nanotubos por mês, mas dependendo do mercado pode chegar a 100 kg.

 

Importância das parcerias

Com ele concordou a também coordenadora do projeto professora Glaura Goulart Silva. “Algumas frentes tecnológicas que estavam sendo pesquisadas nos laboratórios do ICEx serão transferidas para um espaço provisório no BHtec, no qual será possível um aumento de escala dos processos. Isto significa que daremos  um passo importante na direção dos materiais avançados de interesse aplicado”.

Se a parceria da UFMG com empresas demonstra um grande passo para o desenvolvimento e crescimento do país, para o reitor Clélio Campolina,a construção do Parque vai além. “É uma combinação feliz que legitima as ações que aqui vem sendo implementadas e vai ter muito sucesso nos próximos anos”, comemorou. 

Após a solenidade de lançamento, os convidados forão conhecer o galpão do CTNanotubos incubado, onde será instalada a sede provisória. As obras de construção do prédio que abrigará o Centro serão iniciadas no próximo ano e deverão ser concluídas em um ano e meio.

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

  • No dia  30/12 a diretoria do ICEx funcionará de 09:00 às 12:00.
  • No período de 03 a 06 de janeiro (3ª-f. a 6ª-f. da próxima semana) será
    realizado no prédio do ICEx a segunda etapa do Vestibular 2012 da UFMG, no horário de 7h às 20 h aproximadamente.
  • A Administração Central não funcionará nesse período.

 

  1. I.Não será permitido a entrada e circulação de pessoas externas à equipe nas
    áreas utilizadas para a aplicação de provas.
  2. II.Durante a realização das provas a circulação de pessoas não envolvidas no
    vestibular deverá ficar restrita aos 3º e 4º andares do prédio.
  3. III.Aqueles que não estiverem trabalhando no Vestibular, evitem:
  4. IV.Fazer uso de telefones celulares e sem fio nos corredores;
  5. V.Passar por locais bloqueados, tais como: escadas, elevador e corredores.
  6. VI.No caso de pessoas que necessitem ficar ou entrar na Unidade nos horários
    restritos, estas deverão estar cientes das regras descritas nos itens anteriores.
  7. VII.Nos horários restritos, o acesso ao prédio se dará pela portaria do
    estacionamento do Departamento de Física e obedecerá as regras de fins de
    semana e feriados (pessoas autorizadas).

 

Solicitamos aos responsáveis por laboratórios e coordenadores de cursos de especialização dar ampla divulgação ao conteúdo desta mensagem entre funcionários e estudantes autorizados a frequentar o prédio do ICEx nesse período.
                                                     Atenciosamente,
                                                         A Diretoria

 

 

 


 

Normal 0 21 false false false MicrosoftInternetExplorer4
Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

Prof Maria Carolina Nemes

Faleceu no sábado, dia 14, a professora titular do Departamento de Física da Universidade Federal de Minas Gerais, Maria Carolina Nemes. Natural de São Paulo, inicou sua carreira em 1974, ao terminar o bacharelado em Física, o mestrado em 1975 e o doutorado na USP. Desde 1991, foi professora titular do departamento.

Maria Carolina Nemes publicou 137 artigos nas melhores revistas especializadas e recebeu mais de 840 citações no WEB of Science. Foi orientadora de trabalho de iniciação científica, mestrado e doutorado.

Aos familiares e amigos, nossos sinceros sentimentos.

 

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

foto01Emoção, palmas, sorrisos. Uma volta ao tempo, aos primeiros projetos, ao primeiro laboratório. A ditadura, a perseguição. Tempo duro. Tempo bom, de construção, conquistas. Foi contando e relembrando os momentos importantes do departamento que o professor do Departamento de Física, Ramayana Gazzinelli, comemorou seus 80 anos. No auditório da Física estavam seus colegas professores, alunos, filhos, netos e sua “querida esposa Alzira”, como ele a chama carinhosamente.

Um dos responsáveis pelo desenvolvimentofoto02a05 institucional da pesquisa na UFMG, Gazzinelli conta que na década de 60 a necessidade de especialização na área era tão grande que foi criado o curso de mestrado quase que na marra. “Só tínhamos três professores especializados. Era um sufoco. Mas aos poucos a universidade foi liberando professores para cursarem no exterior, multiplicando assim o quadro de doutores: em 20 anos conseguimos formar 40 e em 96 já tínhamos 60”, comemorou, lembrando que tudo foi feito com perseguições políticas e oposição às reformas do regime militar.

Para quem queria aprender um pouco da história foto06das décadas anteriores, a apresentação do professor foi uma aula. História dos primeiros centros de pesquisa, o nome dos pesquisadores mais importantes, engenharia nuclear, a física e a filosofia. “Ele é uma referência no ensino, na ética e no compromisso institucional com o departamento”, afirmou o reitor Clélio Campolina. Com ele concordou o diretor do Instituto de Ciência Exata (ICEx), Antonio Otávio Fernandes, ao afirmar que Gazzinelli prestou uma enorme contribuição ao Departamento de Física com sua obra. “Com ele, o curso de Física teve um trabalho sólido, tanto na pesquisa como no ensino e extensão”.

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

Foto1Comp

Verão chegando e com ele o curso de Computação promovido pelo Programa de Pós-Graduação do Departamento de Ciência da Computação (PPGC/DCC) para alunos de graduação, mestrado e doutorado. Com palestras e mini-cursos, serão abordados tópicos de pesquisa e inovação em ciência da computação, ministrados por professores e pesquisadores da universidade.

De acordo com o coordenador Daniel Fernandes Macedo, professor do DCC, o curso será enfocado em aplicações da computação em outras áreas do conhecimento, como o geo-processamento, as cidades e ambientes inteligentes, a bio-informática e as ciências sociais. “Isto é um reflexo da computação, que está adentrando cada vez mais na nossa vida. A computação está invadindo os objetos à nossa volta”, explicou.

Segundo ele, a importância do curso, também, é para que os alunos vejam as mais novas tendências na Computação, já que a área de TI está em constante evolução e mutação. “As palestras, por se tratarem de inovação, complementam a formação obtida pelos alunos na graduação, onde o enfoque do curso é, em sua maioria, nas tecnologias e conceitos bem consolidados”.

O primeiro curso

A primeira edição do evento foi realizada em 2012 com 170 inscritos de graduação e pós-graduação vindos de diversas universidades do país e até mesmo do exterior. O objetivo a longo prazo do curso de Verão é que a escola se torne uma referência na América Latina, desenvolva o debate entre pesquisadores de Ciência da Computação na região e incentive o egresso de estudantes dos nossos países vizinhos nos cursos de pós-graduação brasileiros.

Inscrições

Os seminários acontecerão nas dependências do ICEx, na primeira semana de fevereiro e o valor da inscrição é de R$ 40,00 (inscrições até 13/12/2014) e R$ 50,00 (inscrições até 31/01/2014). A inscrição é feita no site da Fundep.

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

Mat - Verão

 

Informações sobre o Programa de Verão 2014 acesse:

http://www.mat.ufmg.br/site/pos-principa/programa-de-verao/programa-de-verao-2014/

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

 

“A primeira edição da Escola de Verão em Computação realizada no ICEx  teve um excelente resultado. O grande número de inscrições e os auditórios lotados foram foi surpreendentes”, afirmou o professor e coordenador do curso Omar Paranaíba Vilela Neto. A escola de Verão  teve início no dia 23 de janeiro e durante os seus dez dias foram ministrados 20 minicursos, além de seis palestras. Ao todo, 23 professores do Departamento de Ciência da Computação e um professor convidado da Universidade Federal de Viçosa participaram da escola. Dos 160 alunos de graduação e pós-graduação, 42% eram de outras instituições como São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Alagoas e da Colômbia.

 

urso  veraodcc

 

De acordo com o coordenador, a realização do curso foi excelente para a universidade e principalmente para o Departamento de Ciência da Computação (DCC). “É uma grande oportunidade de divulgar do desenvolvimento científico do Departamento e  uma grande fonte de atração de bons alunos para o conceituado Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC) do departamento”.

 

Também para os alunos foi uma oportunidade de conhecerem diferentes assuntos relacionados à computação e terem contatos com diversos professores e suas pesquisas. “Gostamos de tudo – da universidade, do alto nível dos professores, dos laboratórios, dos minicursos e das palestras. Pretendemos voltar no próximo curso”, afirmaram os alunos da Universidade Estadual Paulista do estado de São Paulo, Gustavo Teixeira e Heitor Polizeli Rodrigues”.

 

A Escola de Verão em Computação contou com o apoio da Sociedade Brasileira da Ciências (SBC) e com o patrocínio da Capes. Os professores responsáveis pela organização foram Omar Paranaíba Vilela Neto, Olga Nikolaevna Goussevskaia, Daniel Fernandes Macedo, Raquel Cardoso de Melo Minardi, Luiz Filipe Menezes Vieira e Marcos Augusto Menezes Vieira.


alunos do curso


Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

quimica7duas

O departamento de Química do ICEx está comemorando mais uma conquista nas suas metas de ensino, pesquisa e extensão. Com a nota máxima e de excelência da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para o programa de Pós-Graduação de Química, da avaliação trienal 2010-2012, o programa atingiu a nota 7, máxima e de excelência.


“A avaliação representa o coramento de um esforço de toda a comunidade da Química”, comemora o coordenador do Programa de Pós-Graduação da Química, Humberto Osório Stumpf, acrescentando ainda que a nota máxima representa o desafio em manter a qualidade nas suas metas.


Outras conquistas destacadas pelo coordenador do departamento de Química são a entrega do novo prédio no próximo ano e a aprovação de grandes projetos como a aquisição do RMN ( ressonância magnética nuclear) de 700 mhz.

 

capes avaliação quimica e 7

Avaliação

A avaliação da pós-graduação stricto sensu é realizada pela Capes desde o ano de 1976. Ao longo de quase 40 anos, consolidou-se como um instrumento importante para o Sistema Nacional de Pós-Graduação e para o fomento, tanto por parte das agências brasileiras, como dos organismos internacionais.

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

profeluizoliveira

Menos poluição agregado a economia das indústrias para o destino do resto do couro é o que promete o projeto do professor do departamento de Química do Instituto de Ciências Exatas da UFMG, Luiz Carlos Alves de Oliveira. Foi depois de muitos estudos e pesquisas que o professor e sua equipe descobriram como reaproveitá-lo no processo industrial e , esta boa idéia lhe valeu o prêmio FINEP de Inovação 2013, Categoria Inventor Inovador, região Sudeste. “Criamos um método empregando um catalisador que permitiu recuperar a pele onde estava o couro. Sua aplicação é diversa e já foi testada como fertilizante de liberação controlada”, explica.

De acordo com o professor, o processo já foi testado em escala maior – uma tonelada – mostrando que é economicamente rentável. “Já estamos negociando com a Vancouros Ltda, do Paraná, para a construção da planta industrial onde está localizada o polo industrial de couro. A idéia de desenvolver o projeto é antiga. “Surgiu em 2003 quando fui trabalhar na universidade do Rio Grande do Sul e acompanhei a dificuldade que as industrias de couro enfrentavam com o lixo. Também foi meu tema de doutorado”, conta.

O prêmio FINEP é considerado o mais importante instrumento de estímulo e reconhecimento à inovação no país. Foi entregue no theatro Municipal do Rio de Janeiro para 28 ganhadores nas diversas categorias que ainda irão concorrer à grande final nacional a ser realizada em Brasília.

pesqupesqui2

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

 

 

Nathércia Castro Mota  e Bruno Matissek Worm


“Estudiosos e apaixonados pela química”. Assim a coordenadora e professora do Departamento de Química do ICEx, Clésia Cristina Nascentes, definiu os 15 estudantes do ensino médio de vários estados brasileiros que participam do Curso Preparatório para a 44ª Olimpíada Internacional de Química, realizado no Departamento. Dos 15 estudantes, 4 serão selecionados para representar o Brasil na Olimpíada que acontecerá em julho, nos Estados Unidos. Ela explica que para participar desta etapa os alunos foram classificados na Olimpíada Brasileira de Química que foi realizada em 2011 em vários estados brasileiros. “No final do treinamento, eles realizarão uma prova que vai definir os quatro primeiros colocados para representar o Brasil”.

Para os alunos Nathércia Castro Mota de Fortaleza (CE) e Bruno Matissek Worm, de Porto Alegre, é uma grande experiência participar do treinamento na UFMG. “Os professores são excelentes e a estrutura do curso também. A gente sempre aprende coisas novas”, comemoram. Além das aulas teóricas e práticas, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer alguns museus como o Inhotim, em Brumadinho, Gruta da Lapinha, Lagoa Santa e outros museus da cidade. “Eles são muito interessados e perguntam muito. Mas não esquecem nunca da Química. É uma grande experiência para a UFMG e uma forma para divulgar os cursos de graduação e pós-graduação desta conceituada instituição”, completa Clésia.

Participam do treinamento professores do programa de pós-graduação do Departamento de Química, coordenados por Clésia Cristina Nascentes, Ana Luiza de Quadros e Ângelo de Fátima.

 

Fotos: Augusto Lacerda

Página 28 de 34