ICEx UFMG - Notícias do Icex
Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

 

Apresentar as linhas de pesquisas e projetos pelos professores e alunos do Departamento de Ciência da Computação do ICEx  buscando maior integração entre alunos, professores e os trabalhos desenvolvidos na universidade foram os objetivos da semana de Seminários da Computação 2077, realizado nos dias 30 a 1º de Junho pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC).

De acordo com o professor e coordenador do programa de Pós-graduação em Ciência da Computação, José Marcos Nogueira, a motivação principal para a realização da semana de seminários é oferecer aos alunos condições para cooperar com os colegas do curso e com os professores através da troca de déias, conhecer outros trabalhos e organizar o próprio trabalho de pesquisa.” O fato do aluno preparar uma apresentação do seu trabalho ainda inacabado, no meio do curso, tem efeitos positivos no resultado final, bem como na redução ou manutenção do prazo previsão para conclusão”, explica José Marcos.

O (PPGCC) da UFMG prepara profissionais qualificados, com base científica e tecnológica, capazes de conduzir projetos de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias em Informática, além de formar docentes para atender à expansão do ensino superior em Ciência da Computação no Brasil. “Durante a apresentação dos trabalhos dos alunos há também avaliações sobre os seus trabalhos com entrega de prêmios”, informa ainda o coordenador.

O que os professores e alunos apresentam durante o seminário:


Alunos: Aferição Automática da Qualidade de Documentos da Web 2.0, Processamento eficiente de consultas baseadas em palavras-chave sobre fluxos XML, uma Abordagem de Meta-Aprendizado para Ranking Dependente de Consulta, Engenharia de Soft, Cripto e NPDI, Criptografia, Engenharia de Software e Linguagens de Programação, Classes de tipos com vários parâmetros para Haskell, Detecção de Violações Arquiteturais usando Histórico de Versões, teste de aplicações para Dispositivos Móveis Inteligentes, Classificação do Estilo Barroco em Cenas Urbanas, Navegação e Indexação Multimodal em Vídeos.
Temas apresentados pelos professores : Distribuição de Dados para Redes de Sensores Sem Fio, Caracterização do Comportamento dos Espectadores em Transmissões de Vídeo ao Vivo Geradas por Usuários, Modelagem, Estatística, Mineração de Dados, Sistemas Distribuídos, Estatística Computacional e Modelagem, Estratégias computacionais para aceleração das simulações da eletrofisiologia Cardíaca, Um Modelo para Previsão da Repercussão de Tips em Redes Sociais, Robótica , Arquitetura, NanoTecnologia,  BioInfo, VoD e Otimização.

 

 

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

medalha-fields

 

Nesta quarta-feira, dia 15 de outubro, o professor titular do Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, Welligton de Melo proferir palestra sobre os trabalhos de seu orientando Artur Ávila na Universidade de São Paulo.

A palestra que terá como tema a trabalho sobre sistemas dinâmicos do matemático que ganhou a medalha Fields será transmitida pela TV USP e poderá ser acessada através do link abaixo:

http://iptv.usp.br/portal/home.action

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

Aluno: Fabrício Benevenuto de Souza (DCC).

 

Os alunos do Instituto de Ciências Exatas (ICEx) da UFMG Fabrício Benevenuto de Souza e Maurício Barros Corrêa foram selecionados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes),entre as seis melhores teses de orientadores de pesquisas defendidas do Prêmio Capes de Tese Edição 2011. Uma menção honrosa foi também oferecida ao professor de Física do Instituto, Ado Jório de Vasconcelos.

A Capes selecionou as 45 melhores teses de doutorado, defendidas em 2010, dentre as 47 áreas do conhecimento reconhecidas. O professor Virgílio Almeida, da Ciência da Computação, foi o orientador do aluno Fabrício Benevenuto de Souza com a tese de doutorado 'Uma análise empírica sobre interações em redes sociais”. O professor de Matemática Marcio Soares, do Programa de Pós-Graduação de Matemática do ICEx, orientou Maurício Barros Corrêa na tese “Integrabilidade algébrica de folheações holomorfas e o problema de Poincaré”, defendida no ano de 2010.

De acordo com o diretor do ICEx, Antonio Otávio Fernandes, estes prêmios são motivos de grande satisfação para todos nós. “Demonstra qualidade do trabalho desenvolvido pelos professores, o Instituto e a universidade”. A cerimônia de entrega dos prêmios aos autores e da distinção aos respectivos orientadores e programas de pós-graduação ocorrerá no edifício-sede da Capes, em Brasília, no dia 11 de julho.

 

Prof. Virgílio Almeida ( Dep. de DCC) e Prof. Márcio Soares ( Dep. de Mat.)

Orientadores dos Alunos

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

seme

Divulgação OBM, Professor Seme e alunos da UFMG medalhistas

 

A equipe de três estudantes- Cássio Moraes, Lucas Reis e Letícia Matos- que representava a Universidade Federal de Minas Gerais conquistou medalhas de ouro, prata e bronze na 6ª edição da Competição Ibero-Americana Interuniversitária de Matemática (CIIM), que aconteceu na ultima semana em San José, capital da Costa Rica.

Ao todo, participaram do desafio 53 estudantes vindos dos seguintes países: Brasil, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, México e Equador. Eles tiveram um prazo de dez horas, divididos em dois dias, para tentar solucionar seis problemas propostos pela banca de professores, que também era responsável pela avaliação das soluções apresentadas pelos competidores.

Cássio Moraes, responsável pela conquista da medalha de ouro da UFMG, é aluno do 6° período do curso de Matemática da UFMG. De acordo com o estudante, que já cursa disciplinas isoladas do mestrado, o processo de preparação foi simples, eles apenas fizeram as provas anteriores, pois, de acordo com ele, a base oferecida pela curso da UFMG é suficiente para realizar a prova .O estudante, que já participou e venceu outras competições semelhantes, aconselha aqueles que querem participar da Olimpíada Ibero-Americana a primeiro participar da OBM, Olimpíada Brasileira de Matemática.

Outro destaque da UFMG na competição, foi o estudante André Braga, que conquistou o ouro competindo pela equipe da OBM.

Para o professor Seme Gabara Neto, do departamento de Matemática do ICEX/UFMG, “o bom desempenho dos brasileiros nesse tipo de competição é fruto de um trabalho de longo prazo no sentido de preparar e habituar os estudantes para competir em olimpíadas”. Para justificar sua fala, o professor cita a Olimpíada Brasileira de Matemática e a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Publicas, que todos os anos envolvem milhares de estudantes pelo país.

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

 

O professor Diego de Freitas Aranha, do Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Brasília (UnB), com experiência nas áreas de criptografia e segurança computacional, fez palestra no Instituto de Ciências Exatas, ICEx), dia 15, sobre as vulnerabilidades no software da urna eletrônica brasileira.
Convidado pelos professores especialistas em criptografia do Departamento de Ciência da Computação, Leonardo Barbosa e Geroen  van de Graaf, Aranha falou sobre  a participação da equipe da UnB, liderada por ele, nos testes públicos de segurança da urna eletrônica, organizados pelo Tribunal Superior Eleitoral neste ano, quando foram detectadas vulnerabilidades no software.  “Elas permitem a possibilidade de fraude eleitoral. “Já descobrimos uma forma de reordenar os votos registrados”, afirma, lembrando, que a falha é conhecida na área de segurança há pelo menos 17 anos.

O professor da UnB apontou outros problemas que observou na urna e no próprio teste, incluindo a presença de uma chave secreta usada por todas as urnas brasileiras no código-fonte visto pelos investigadores autorizados pelo TSE.
Ele sugere que as urnas adotem o voto verificável pelo eleitor e que só assim serão atendidos os "requisitos mínimos" de segurança. A impressão do voto já foi aprovada no Congresso e valeria a partir de 2014, mas está sendo questionada no Supremo Tribunal Federal (STF) sob a alegação de que imprimir o voto poderá comprometer o direito ao sigilo.

Palestrante: Diego Arruda

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

wagner foca lisboa-thumb

Nos últimos anos, o processo de popularização dos mecanismos de produção e armazenamento de dados elevou de maneira surpreendente o volume de informações armazenadas pelas sociedades modernas. De acordo com o professor Wagner Meira, do Dep. Ciência da Computação da UFMG, essa quantidade excessiva de informação nos leva a uma pergunta “o que fazer com tantos dados?”.

Para solucionar esse problema, a mineração de dados oferece uma série de ferramentas que permitem extrair as informações contidas no dados e a partir delas estabelecer certos padrões. O professor explica que esses padrões são cada vez mais presentes em nossas vidas, sendo fáceis de identificar em sites como o “Amazon”, que indica para você produtos que também são adquiridos pelos usuários que compraram a mesma mercadoria que você pretende comprar, ou seja, o site cria uma constância sobre os hábitos de consumo de seus usuários. E os processos de mineração não se restringem ao e-comerce, de acordo com a microsoft, as ferramentas de mineração já são utilizadas para auxiliar em: aplicações financeiras, previsão de consumo de energia, vendas e marketing, agronomia, serviços de garantia e manutenção, dentre outros.

Ainda segundo o professor Wagner, “os métodos de mineração de dados variam com relação a pergunta que você pretende responder e os dados que você tem a disposição”. Ele exemplifica que o Google, por exemplo, tem a maior parte da sua receita proveniente de anúncios, por esse motivo, sua coleta irá privilegiar dados referentes aos interesses de consumo dos seus usuários.

Mas, mesmo com a necessidade de sistematizar padrões a partir no numero extenso de dados disponíveis, é preciso pensar em certos limites que dizem respeito aos processos de mineração. O professor cita dois, o primeiro deles se refere a uma questão ética dos mecanismos, que devem fornecer o as informações extraídas sem distorções e inclinações, deixando claro para os consumidores do serviço quais informações advêm de publicidade, como é feito no Facebook.

Outro ponto apontado pelo docente como sendo delicado na dinâmica dos dados é a questão da privacidade, que tem limites que variam de pessoa para pessoa. Hoje, seus dados são comercializados livremente entre diversas entidades, nas palavras do docente, “para eu te fazer uma boa indicação eu preciso de conhecer e é isso que as empresas estão fazendo, elas criam um perfil dos seus usuários para entender quais produtos devem oferecer para eles”. Algumas pessoas vão se sentir violadas ao descobrir que seu comportamento na rede está sendo monitorado afim de atender interesses comerciais, outras já não se incomodaram em abrir mão de parte da sua privacidade para ter mais conforto.

Para tentar reduzir os impactos referentes a essas questões o professor aponta duas saídas. A primeira delas se refere a uma maior preocupação por parte das empresas em deixar seus clientes mais informados sobre como seus dados serão monitorados e comercializados. A outra medida importante que deve ser empreendida para o tráfico de dados se tornar mais ético é fomentar a concorrência, oferendo um maior numero de portais de qualidade para que os usuários tenham opções de diferentes tratamentos dos seus dados.

Por fim, Wagner ressalta que os dados estão cada vez mais presentes na vida das pessoas, sendo utilizado como ferramenta de trabalho e no lazer de diversos indivíduos. O aperfeiçoamento da habilidade com que as pessoas fazem suas buscas no Google, talvez a mais popular ferramenta de mineração de dados. Por esse motivo, é preciso criar mais ferramentas que possam atender as demandas de tratamento de dados de um nicho cada vez maior da população.

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

Quando uma folha de árvore é exposta à luz do sol e é iniciado o processo da fotossíntese, o que está ocorrendo é química. Ela está presente em todos os seres vivos. Quando não há mais química, não há mais vida. E foi para comemorar o dia do Químico, 18 de junho, que professores, alunos e funcionários se reuniram no Departamento de Química do Instituto de Ciências Exatas (Icex) e homenagearam os professores Fernando Carazza e Eucler Bento Pamiago e o funcionário Romário Alves Pereira. .
De acordo com a professora do Química do ICEx, Dorila Pilo Veloso, o mundo sempre dependeu da química. “A água é uma substância química, o ar é uma mistura de vários gases. O cozimento nada mais é que uma reação química; a química está presente desde os primórdios, a descoberta do fogo foi uma revolução para a humanidade, e o fogo é produto de uma reação química. Quando duas pessoas se olham e sentem uma coisa boa, diz-se que têm uma boa química.Até mesmo a poluição só será resolvida por meio das soluções da química”.


Por que 18 de Junho

Esta data foi escolhida porque neste dia, no ano de 1956, foi criado o Conselho Federal de Química, juntamente com os Conselhos Regionais de Química. Mas a profissão de Químico é um pouco mais antiga, foi regulamentada em 1934.
O principal atributo do Químico é usar os conhecimentos e propriedades químicas conhecidas para criar novas substâncias, melhorar processos industriais, realizar pesquisas em diversas áreas, como por exemplo, derivados do petróleo (desenvolvendo novos combustíveis) e ainda na obtenção de novas formas de energia, como os biocombustíveis, energia nuclear, etc.

Professora Dorila

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

beatriz alvarenga
Ficam expostos no prédio da Biblioteca Central da UFMG livros, trabalhos publicados pela professor Beatriz Alvarenga. Além disso, a exposição, que ficará na biblioteca até o dia 31 de outubro, possibilita ao visitante ver alguns dos brinquedos utilizados pela professora em suas palestras.
A professora Beatriz se formou na UMG, que posteriormente se tornou a UFMG, em 1946 no Curso de Engenharia Civil e se tornou referência nacional no ensino de física. Nas palavras do professor José Guilherme Moreira do dep. De Física da UFMG a professora Beatriz “sempre teve uma postura mais lúdica ao ensinar, trazendo a física para o cotidiano do aluno”.
Também homenageando a professora emérita do depde Física da UFMG, acontece no dia 29 de outubro, as 17h, cerimônia aberta ao público, no auditório A 104 do Centro de Atividades Didáticas, CAD-2. A cerimônia contará com a presença da professora Beatriz que, neste mesmo dia, deve visitar a exposição na Biblioteca Central.

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

 

Entre os dias 26 e 30 de junho acontecerá, em Ouro Preto - MG, o 6º Alberto Mendelzon International Workshop on Foundations of Data Management (AMW 2012).
O Workshop é uma iniciativa da comunidade latinoamericana de pesquisa em Gerência de Dados, em homenagem à memória de Alberto Mendelzon, pesquisador argentino que foi professor da Universidade de Toronto e muito contribuiu para essa área de pesquisa.

De acordo com a coordenadora do evento e professora do Departamento de Computação, Mirella M.Moro, o workshop é um espaço para discussão de pesquisa em banco de dados com foco nos aspectos fundamentais da área. “Esta é uma forma de homenagear Mendelzon e de incluir jovens pesquisadores latinoamericanos na comunidade internacional de pesquisa em banco de dados”.

O programa do AMW 2012 incluirá, além de sessões técnicas para apresentação de artigos, palestras convidadas a serem proferidas pelos professores Marco A. Casanova da PUC-Rio, Maurizio Lenzerini da Universidade de Roma e Berthier Ribeiro-Neto da UFMG/Google, e pelo pequisador Divesh Srivastava do AT&T Labs, além de um dia inteiro dedicado aos estudantes com apresentações de pôsteres, tutoriais e um painel sobre o tema “A Vida Profissional dos Pesquisadores em Bancos de Dados”.

O programa completo do evento pode ser encontrado em http://www2.dcc.ufmg.b

Professora Mirella M.Moro

Publicado em: Notícias do Icex
Avalie este item
(0 votos)

sbseg-logo

 

O evento acontece entre os dias 3 a 6 de novembro, no Centro de Atividades Didáticas, no campus Pampulha da UFMG. O simpósio é promovido anualmente pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e é o principal espaço para a divulgação do resultado de pesquisas e promoção de debates referentes a segurança da informação.

Essa é a primeira vez que o evento vem a Belo Horizonte e sua organização compete ao Departamento de Ciências da Computação da UFMG. O evento envolve cerca de 300 participantes, entre professores, pesquisadores, estudantes de pós-graduação e profissionais especialistas do Brasil e do exterior.

Na programação o evento, que é patrocinado por importantes empresas do ramo da computação como a Google e a Intel, estão incluídos workshops, míni cursos e seções técnicas com pesquisadores e profissionais ligados as temáticas relativas a segurança da informação.

De acordo com o organizador do evento, Prof.. Leonardo Oliveira, a participação do evento é indicada a alunos de todos os cursos da UFMG, pois, “a segurança digital, hoje, tem um papel chave na sociedade, pois ela perpassa a vida comum das pessoas e pode perpassar o cotidiano profissional de todos eles”. O professor disse ainda que o evento será uma ótima oportunidade para se discutir casos polêmicos referentes a segurança da informação na atualidade, como as denúncias da espionagem norte americana, a identidade e a responsabilidade virtual, a utilização das urnas eletrônicas, dentre outros.

As inscrições para participar do Simpósio podem ser realizadas até o dia 3 de novembro pelo site http://www.sbseg2014.dcc.ufmg.br/inscricoes/. Neste mesmo endereço é possível encontrar mais informações e a programação completa do evento.

Página 12 de 34