Centro de pesquisa torna nanotubos de carbono mais acessíveis à indústria

Entidade recebeu R$ 36 milhões de patrocínio para estudar produto capaz de fortalecer materiais como cimento. Veja mais

 

pimenta

 

O coordenador do CTNanotubos, o físico Marcos Pimenta do ICEx - UFMG, aposta na parceria entre a instituição de ensino e as empresas: "É preciso focar na produção em grande quantidade atrelada à viabilidade comercial"

Última modificação em Segunda, 21 Julho 2014 09:47