ICEx UFMG - Geral Site

mobilidade

Graduandos, pós-graduandos e pesquisadores podem se inscrever até 31 de julho para bolsas de mobilidade internacional oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no âmbito do Programa Geral de Cooperação Internacional (PGCI).

As inscrições devem ser feitas pelo site da Capes e os selecionados iniciarão as atividades nas instituições estrangeiras entre janeiro e março de 2016.

As vagas são para projetos conjuntos de pesquisa, parcerias universitárias e candidaturas individuais de qualquer área do conhecimento. A Capes oferecerá auxílio instalação, seguro-saúde, deslocamento e manutenção. Os resultados serão divulgados a partir de 30 de setembro.

FONTE: ufmg.br

Robô

 

Para evitar acidentes, como o ocorrido no Chile em 2010, grandes empresas procuram alternativas para reduzir a intervenção humana na atividade de mineração, por exemplo, através da utilização de robôs móveis.

 

Cinco equipes altamente especializadas em robótica receberam a missão de criar o melhor robô autônomo para ajudar na aquisição de metais preciosos. Os robôs terão a missão de localizar possíveis veios, extraindo e levando amostras de maneira segura até a base. Entretanto, será preciso tomar muito cuidado com materiais tóxicos que podem existir no ambiente.

 

Os robôs que participam desta competição são completamente autönomos, controlados exclusivamente pelo computador de bordo ao qual estão conectados diversos sensores e atuadores. Esses robôs foram projetados e construídos por alunos de diferentes cursos de graduação no contexto da disciplina de Introdução à Robótica ofertada pelo DCC/UFMG no 1º semestre de 2015.

 

O que? Competição de Robôs Autônomos

Quando? 24 de Junho, 18h30

Onde? Auditório 3 do ICEx-UFMG

cca

 

 

Tomaram pose hoje, os novos chefe e subchefe da estatística. Os escolhidos para ocupar os cargos foram os professores Marcos Antônio da Cunha e Wagner Barreto de Souza, respectivamente.

 

Conheça um pouco mais sobre a formação e pesquisa dos eleitos.

 

 

ccb

Marcos Antônio da Cunha Santos – Chefe de Departamento

Marcos Santos ingressou como docente no departamento em 1996 e já ocupou a chefia da unidade por outras duas gestões, de 2005 a 2007 e de 2007 a 2009. Antes disso, o professor já havia sido aluno de graduação e mestrado do curso de Física do ICEx.

 

Doutor em Estatística e Probabilidade pela Universidade de São Paulo, USP, o professor aponta como sendo seus principais campos de pesquisa a Probabilidade e a Estatística Aplicadas.

 

 

ccc

Wagner Barreto de Souza – Subchefe de Departamento

Wagner Souza ingressou como professor da UFMG em 2013. O professor é bacharel  e mestre em estatística pela Universidade Federal do Pernambuco.

 

Assim como o professor Marcos, é doutorado pela USP. Seus principais campos de pesquisa são as Séries Temporais e a Análise de Sobrevivência e Finanças.

3185410319 f7b64e017d o

 

O Google anuncia hoje (01/06) um programa de custeio de projetos acadêmicos em ciência da computação que dará US$750 mensais (cerca de R$ 2.350) para mestrandos e US$ 1.200 (R$ 3.750) para doutorandos dos 20 processos selecionados durante três anos.

 

Serão exclusivamente aceitas pesquisas de instituições latino-americanas. A ideia é que o professor-orientador encaminhe a proposta ao Google.

 

Áreas como internet das coisas, tecnologia de cidades inteligentes e convergência nas plataformas de entretenimento (como plataformas de smart TV) foram menos estudadas, e portanto projetos relacionados a elas podem ter mais chance de seleção, diz Berthier Ribeiro-Neto, coordenador do centro de pesquisa do Google em Belo Horizonte e um dos idealizadores da iniciativa.

 

A companhia americana já vem financiando alguns projetos como um teste para o programa que será anunciado.

 

Um deles é o da professora Jussara Marques de Almeida, do DCC/UFMG, que tenta descobrir os fatores que causam a "viralidade"(popularização rápida de conteúdo na internet) de um vídeo no YouTube monitorando o engajamento de internautas com o filme durante um período curto.

foto-3

 

Professor do Departamento de Física desde 1989, Marcos Pimenta é especialista em espectroscopia de Raman e nanotubos de carbono. Pesquisador nível 1A do CNPq, o professor concluiu a graduação pela UFMG em 1980 e pós-doutorado no Massachusetts Institute of Technology (MIT) em 1997-98.

 

Só em 2015, foram 4 artigos completos publicados em periódicos. Em todo o Lattes, são listadas 190 publicações desse último tipo. Em seu currículo constam a orientação de 12 trabalhos de conclusão de mestrado e 9 de doutorado.

 

Contudo, não é só na produção acadêmica que Pimenta se destaca. O membro titular da Academia de Brasileira de Ciência é músico e violonista. O professor possui até um CD lançado em 1997 com composições próprias. Confira o programa Persona, da TV UFMG, sobre esse talento da física e da música.

 

 https://youtu.be/heLiEsiZdjA

 

 

grafeno

 

Pesquisadores da UFMG e de universidade norte-americana aperfeiçoam método para esfoliar grafite e produzir o nanomaterial

Do Boletim UFMG

A otimização de método de esfoliação de grafite com utilização de micro-ondas para a produção do nanomaterial grafeno acaba de ser descrita em artigo que resultou na capa da edição de maio da revista Journal of Brazilian Chemical Society, publicação com maior fator de impacto entre revistas científicas em química na América do Sul. Produzido por pesquisadores da UFMG e da Universidade de Rice (Texas, EUA), o artigo relata o bom desempenho da metodologia, que causa menor impacto para o meio ambiente, por depender de menos reagentes e energia e realizar o processo em uma duração mais curta, resultando em material de muito boa qualidade.

“Uma das dificuldades de esfoliação do grafite é que os processos são trabalhosos, exigem reagentes agressivos e tempo longo, às vezes com rendimentos baixos”, explica a professora Glaura Goulart Silva, coordenadora do grupo de pesquisa da UFMG que produziu o artigo Facile Graphene Oxide Preparationby Microwave-Assisted Acid Method na linha de pesquisa que é desenvolvida em parceria com o professor Vinicius Caliman, também do Departamento de Química.

Foco de corrida internacional de laboratórios e empresas que almejam alcançar produção rápida, barata e em larga escala, o grafeno é, ao lado dos nanotubos, um dos principais nanomateriais de carbono de interesse industrial. Obtido a partir do isolamento de folhas de grafite ou por deposição química de fase vapor, o grafeno pode ser usado em conjunto ou separadamente com os nanotubos, para conferir mais resistência a diversos tipos de materiais.

Arranjo institucional

A obtenção do método otimizado de esfoliação tem, na opinião da professora Glaura, a marca do sucesso também no que se refere ao arranjo institucional que ­viabilizou a pesquisa. “Trata-se de bom exemplo de cooperação internacional, com interesse industrial local”, analisa a pesquisadora. Ela lembra que o financiamento para o estudo foi conquistado pelo grupo da UFMG em projeto com a Petrobras, que forneceu bolsa para que uma das autoras do artigo, a doutoranda Meiriane Lima, permanecesse por seis meses na Universidade de Rice. “É uma instituição top em nanotecnologia nos Estados Unidos, com a qual mantemos colaboração desde 2010”, afirma a professora.

O primeiro autor do artigo, Marcelo Viana, que também estagiou como pós-doutorando na Rice, acaba de ser contratado como professor da PUC Minas, o que, na opinião de Glaura Silva, evidencia a crescente influência do trabalho desenvolvido na UFMG. “Além de lidarmos com temas de alto impacto tecnológico, com colaboração internacional, estamos formando pessoas que vão atuar em outras instituições”, analisa.

De acordo com Glaura Silva, a esfoliação do grafite mineral é estratégica para o estado de Minas Gerais, que tem minas de grafite de quantidade e qualidade expressivas. “As pesquisas sobre o grafeno interessam diretamente às empresas mineiras da área de grafite que almejam vender um produto de maior valor agregado”, pondera. Para a Petrobras, a adição de nanomateriais de carbono pode contribuir para a solução de novos desafios tecnológicos associados à exploração em águas profundas, ao tornar materiais metálicos, cerâmicos e poliméricos mais resistentes a temperatura, pressão e ambientes químicos corrosivos. “É de interesse da empresa obter, em curto prazo e com propriedades melhoradas, materiais como colas, tintas e peças de plástico ou borracha. Esse é o trabalho do nosso grupo”, explica a professora do Departamento de Química.

Em sua avaliação, a UFMG está bem posicionada mundialmente na área de nanomateriais de carbono, tanto por sediar o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do setor quanto por ter criado o Centro de Tecnologia CT-Nanotubos, no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-Tec), ambos coordenados pelo professor Marcos Pimenta, do Departamento de Física. “Há um arranjo científico-tecnológico muito favorável aqui na Universidade, com grande competência em nanotubos e em grafeno, que envolve também o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN) e outros parceiros do estado”, ressalta a professora Gláucia. Ela destaca que o professor Marcos Pimenta soube agregar, nas iniciativas que coordena há mais de 15 anos, grupos com diversas competências essenciais à pesquisa e ao desenvolvimento na área de nanomateriais de carbono, “e hoje as tecnologias estão maduras para entrar no mercado”.

Ainda ocupando espaço provisório, o CT-Nanotubos está iniciando no BH-Tec a construção do prédio que abrigará a produção de nanomateriais de carbono em escala piloto. “Os recursos para a construção já foram liberados pelo BNDES. Estamos fazendo sondagem do terreno e o detalhamento do projeto executivo do prédio”, informa a professora, que atua como vice-coordenadora do CT-Nanotubos. Financiamento da Petrobras foi aplicado na aquisição de equipamentos para pesquisa e produção piloto em andamento, que inclui testes de parâmetros para produção industrial. “Já temos a síntese de nanotubos de carbono, produtos com nanotubos – cimento, epóxi e poliuretano – e também a esfoliação do grafite passando para a fase piloto”, descreve Glaura Goulart Silva.

 

Artigo: Facile Graphene Oxide Preparation by Microwave-Assisted Acid Method 
Autores: Marcelo Viana, Meiriane Lima, Jerimiah Forsythe, VarunGangoli, Minjung Cho, YinhongCheng, Glaura Silva, Michael Wong e Vinicius Caliman. 
Fonte: http://jbcs.sbq.org.br/

logocortado

O evento Second Workshop in Groups and Algebras será realizado nos dias 06, 07 e 08 de julho de 2015 no Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais e tem como principal objetivo o intercâmbio entre pesquisadores brasileiros e estrangeiros para troca de informações acadêmicas na área de álgebra.
O evento será composto de palestras proferidas por 14 pesquisadores especialmente convidados para as apresentações orais. Os demais participantes interessados em apresentar trabalho podem se submeter a sessão de pôsteres.

Solicitamos aos interessados que consultem a página web www.mat.ufmg.br/encontro2015 para maiores informações sobre o evento.

Não será cobrada taxa de inscrição.
Todos são bem vindos!

Comissão Organizadora
Ana Cristina Vieira
Csaba Schneider
John MacQuarrie
Viviane Ribeiro Tomaz da Silva

Termina no próximo dia 29 o período de inscrição para os cursos de mestrado e doutorado em Química, com entrada no segundo semestre deste ano. As inscrições via correspondência se encerram nesta sexta-feira, 22, com envio pelos correios da documentação necessária, descrita no edital do mestrado.

Os candidatos também podem se inscrever na Secretaria da Pós-graduação no Departamento de Química do Instituto de Ciências Exatas, entre 8h30 e 12h ou de 13h30 às 17h, até 29 de maio.

O Programa de Pós-graduação em Química vai oferecer 67 vagas de mestrado e 57 de doutorado. A prova de conhecimentos específicos vai acontecer dia 9 de junho na UFMG ou, caso solicitado na ficha de inscrição, em outras localidades.

DQ

posse

(Da esquerda para a direita: Ariete Righi, Ado Jório, Franscisco Dutenhefner, Antônio Flávio Alcântara, Paulo Sérgio Guimarães, Silvia Helena Paixão)

 

No dia  20/05/15 (quarta-feira), mediante eleições internas do Departamento de Física do Instituto de Ciências Exatas, o Diretor do ICEx,  Professor Antônio Flávio de Carvalho Alcântara empossou os Professores Ado Jório de Vasconcelos como o novo Chefe do Departamento, os Professores Paulo Sérgio Soares Guimarães e Silvia Helena Paixão Alencar  foram reconduzidos como Coordenador e Subcoordenadora, respectivamente, do Programa de Pós-Graduação e a Professora Ariete Righi como Subcoordenadora do Colegiado de Graduação.

 

Conheça um pouco do currículo e da linha de pesquisa de cada um deles.

 

 

edson 

Paulo Sérgio Soares Guimarães – Coordenador de pós-graduação

Graduado em 1979 pela Universidade Federal de Minas Gerais, o professor concluiu seu pós-doutorado em 1993 na University of California at Santa Bárbara. Guimarães atua como professor do ICEx-UFMG desde 1988. Antes disso, ele já lecionou na University of Sheffield, como professor-visitante. Ele já orientou 4 pós-doutorados, 8 doutorados, 12 mestrados e 35 trabalhos de conclusão de graduação. O professor tem como principais linhas de pesquisa a física dos semicondutores e dos polímeros conjugados.

 

 janete

 

Silvia Helena Paixão – Sub-coordenadora de pós-graduação

A sub-coordenadora da pós concluiu seus cursos de graduação, mestrado e doutorado na UFMG em 1993, 95 e 2000 respectivamente. Paixão possui três pósdoc, cursados no Instituto Astronômico e Geofísico da USP (2000 a 2002), no Departamento de Física da UFMG (2002-2005) e no Laboratoire d'Astrophysique de Grenoble (França) (2005-2006). Docente da Universidade Federal de Minas desde 2006, a professora tem como tema de pesquisa a Astronomia, com ênfase em Astrofísica Estelar.

 

 

 ariete

 

Ariete Righi – Sub-Coordenadora de Graduação

A sub-coordenadora do curso de física concluiu seu bacharelado em 1992 na UFMG, universidade em que leciona desde 2003. Ariete possui pós-doutorado na Université de Montpellier II, França (1998-2001) na área de Espectroscopia Raman em nanotubos de carbono e polímeros condutores. Recentemente, iniciou um trabalho em minerais para montar um banco de dados. É atualmente pesquisadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Nanomateriais de Carbono.

 

 1ado

 

Ado Jório de Vasconcelos – Chefe de Departamento

O professor Jório, com 22.091 citações, ocupou a 14ª colocação entre os professores brasileiros mais citados pelo Google Scholar Citations. O professor do Depto. de Física tem como principais linhas de pesquisa a espectroscopia e a nano-espectroscopia. Só em 2014, de acordo com seu perfil no lattes, o professor Ado publicou 8 artigos completos em periódicos. Ele concluiu seu pós-doutorado no MIT em 2001 e sua graduação sete anos antes na UFMG, onde leciona desde 2002.

bia

Beatriz Alvarenga, referência nacional no ensino de física.

 

Trabalhos e técnicas aplicadas e bem sucedidas no ensino universitário podem ser inscritas, até 22 de junho, para apresentação em congresso que será realizado em outubro no campus Pampulha.

Docentes da UFMG e de outras instituições podem submeter à avaliação da comissão organizadora, no site do Congresso, resultados de pesquisa, relatos, livros, softwares, ensaios, forma de organização de disciplina no moodle e trabalhos em outros formatos que divulguem práticas pedagógicas inovadoras e bem sucedidas no ensino superior, em qualquer área do conhecimento.

As propostas que se destacarem serão apresentadas nos dias 14 e 15 de outubro no I Congresso de Inovação e Metodologias no Ensino Superior, realizado pela Diretoria de Inovação e Metodologias de Ensino (Giz).

A lista de trabalhos selecionados será divulgada pela Pró-reitoria de Graduação (Prograd) no dia 17 de agosto. Após o Congresso, os participantes inscritos ainda poderão participar de atividades online.

(Com Assessoria de Comunicação da Pró-reitoria de Graduação)

Página 7 de 42