ICEx UFMG - Mostrando itens por tag: Teses

A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação tem a satisfação de convidá-lo para a Defesa de Dissertação:

 

GAZE-BASED SEMANTIC HYPERLAPSE

Alan Carvalho Neves

 

The growing data sharing and life-logging cultures are driving an unprecedented increase in the amount of unedited first-person videos. We address the problem of accessing relevant information in first-person videos by creating an accelerated version of the input video, emphasizing the important moments to the recorder through an attention model based on gaze and visual scene analysis. Moreover, by employing a scene novelty strategy in our attention model, we avoid overly watching video segments in the accelerated video. We performed several experimental evaluations on publicly available first-person video datasets. In task coverage, our method is 9.6 p.p. superior to the best competitor. Considering the semantic load, it captured 15% more objects in gaze surroundings than the best competitor. Our methodology can fast-forward videos emphasizing moments when the recorder visually interacts with scene components while enforcing the diversity aspect of retrieved information.

 

Comissão Examinadora:

Prof. Erickson Rangel do Nascimento - Orientador (DCC - UFMG)

Prof. Mario Fernando Montenegro Campos - Coorientador (DCC - UFMG)

Dr. Michel Melo da Silva - Coorientador (Verlab - UFMG)

Prof. Alexei Manso Correa Machado (DCC - PUC/MG)

Prof. Guillermo Cámara Chávez (DECOM - UFOP)

Prof. Hélio Pedrini (IC - UNICAMP)

 

28 de Novembro de 2019

09:00h

 

Sala 6321 do ICEX

.

Os doutores Rodrigo Araújo Lima Rodrigues (Ciências Agrárias, Ciências Biológicas e Ciências da Saúde), Lucas da Silva Reis (Ciências Exatas e da Terra e Engenharias) e Luana Carla Martins Akinruli (Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Artes) foram agraciados com o Grande Prêmio de Teses UFMG 2019. O anúncio foi feito na noite desta segunda-feira, dia 14, em cerimônia realizada no auditório da Reitoria. A premiação integra a programação da 28ª Semana do Conhecimento.

Os autores dos melhores trabalhos defendidos em 2018 foram escolhidos por comissão ad hoc instituída pela Câmara de Pós-graduação entre as 55 teses indicadas por seus respectivos programas, agrupadas em três grandes áreas do conhecimento.

Eloquência dos números

O pró-reitor de Pós-graduação, Fábio Alves, lembrou que o ano de 2019 foi de dificuldades para a UFMG em razão do impacto de ações externas que comprometeram o financiamento da área e criaram obstáculos para a produção do conhecimento. No entanto, ele expôs um panorama que comprova a vitalidade da pós-graduação da Universidade, que possui, por exemplo, 65,5% dos seus programas com notas 5, 6 e 7 na avaliação da Capes.

“Temos números eloquentes, magnificados por uma excelência distribuída em todas as áreas do conhecimento”, disse o pró-reitor, acrescentando que, em quase sete décadas de história, a UFMG gerou quase 32 mil dissertações e 11,7 mil teses de doutorado. “Esse magnífico resultado não é apenas quantitativo. Revela-se, sobretudo, pela excelência dessa produção acadêmica, pelo seu impacto científico e pela relevância social”, observou o professor.

A despeito das dificuldades, Fábio Alves destacou que, neste ano, tiveram início as atividades do programa institucional de internacionalização da pós-graduação, o Capes-PrInt, que, segundo ele, reafirma o compromisso da UFMG em “desenvolver ações transversais e transdisciplinares". De acordo com o pró-reitor, a UFMG aprovou o envio de 75 doutorandos para estágio-sanduíche no exterior e 45 docentes para temporadas como professores visitantes em instituições exteriores. Em contrapartida, 25 jovens doutores com experiência no exterior chegaram à UFMG para atuar durante 12 meses, e 36 professores visitantes estrangeiros cumprirão estadas de até 15 dias.

O presidente da Fapemig, Evaldo Vilela, elogiou a pós-graduação da UFMG – “consolidada e de qualidade” – e lamentou que todo o sistema de geração do conhecimento do país, incluindo as universidades e as agências de fomento, como a que preside, seja pouco valorizado pela sociedade brasileira. “Desenvolvemos pesquisas de abrangência global, contamos com pesquisadores de classe mundial, e a UFMG, por exemplo, é recordista em patentes. Mas por que recebemos esse tratamento?”, refletiu ele, referindo-se aos recorrentes cortes orçamentários que têm ameaçado a sobrevivência de instituições como Capes, CNPq e a própria Fapemig.

Representante de área na Capes, a professora Adelina Martha dos Reis, do ICB, fez uma análise da evolução da pós-graduação no Brasil, que tem formado, por ano, cerca de 60 mil mestres e 22 mil doutores. “Só nos últimos 15 anos, a expansão foi de 200%”, calculou. Esse desempenho, no entanto, ainda está aquém das necessidades do país. “Há quem diga que formamos doutores em excesso, mas isso não é verdade. Nossos índices são de 7 a 8 doutores por 100 mil habitantes; nos países da OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico], essa taxa varia de 20 a 30 doutores por 100 mil.”

Déjà-vu e resistência

No pronunciamento que encerrou a cerimônia, a reitora Sandra Regina Goulart Almeida destacou o empenho dos agraciados da atual edição (a 13ª) e dos das anteriores. “Vocês constituem um exemplo de dedicação, tenacidade e superação. Sabemos que não foi pouco o que vocês tiveram que abrir mão para chegar até aqui. A  Instituição e o país lhes agradecem”, disse ela.

Sandra Goulart voltou a lamentar as dificuldades vividas nos dias atuais, que, em sua visão, dão certa sensação de déjà-vu, principalmente no âmbito das universidades públicas. “A nossa jovem universidade já viu, e viu de novo, depois mais uma vez, e agora mais uma, a ascensão do autoritarismo, a perseguição do livre pensamento, a ameaça ao funcionamento das instituições, a tentativa de seu estrangulamento financeiro, o desrespeito à autonomia, o culto à ignorância, ao obscurantismo e ao anti-intelecualismo”, criticou.

Ao fim do seu discurso, a reitora, que foi bastante aplaudida pelo público que lotou o auditório da Reitoria, disse que a cerimônia representava mais do que uma homenagem aos autores das melhores teses de 2018. “Ela sinaliza uma demonstração de força, esperança e coesão, um ato de resistência, a luta por um sonho para todos nós que fazemos parte desta comunidade que tanto amamos. Não podemos retroceder, não podemos esmorecer”, conclamou Sandra Goulart Almeida.

 

Corpos finitos

Lucas da Silva Reis, autor da pesquisa Contemporary Topics in Finite Fields: Existence, characterization, construction and enumeration problems, foi o vencedor no grupo das Ciências Exatas e da Terra e Engenharias. Ele foi orientado pelo professor Fabio Enrique Brochero Martinez e coorientado por Daniel Panário, do Programa de Pós-graduação em Matemática, do ICEx. O trabalho concorreu com outras 10 teses.

No trabalho, distribuído em oito capítulos, Reis discorreu sobre vários problemas teóricos e práticos da Teoria de Corpos Finitos. No segundo capítulo, o pesquisador apresenta definições, notações e resultados básicos dessa teoria e áreas afins, como Álgebra e Teoria dos Números.

Os principais objetos de estudo incluem polinômios, funções polinomiais e elementos em corpos finitos. O autor discutiu problemas relacionados a existência, construção, caracterização e enumeração. Embora a abordagem seja fundamentalmente teórica, muitos dos problemas surgiram de questões práticas, compiladas de contribuições originais de artigos e pesquisas.

 

Menções honrosas

 Duas teses receberam menção honrosa: Corpos em baile – giros da literatura, giro do afeto nas Gerais, de Gabriel Túlio de Oliveira, sob orientação do professor Bernardo Machado Gontijo, do Programa de Pós-graduação em Geografia, que compõe o grupo das Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Artes, e Overcoming quinone deactivation: rhodium catalysed C-H activation as new gateway for pontent trypanocidal prototypes, de Guilherme Augusto de Melo Jardim, orientado pelo professor  Eufrânio Nunes da Silva Junior, do Programa de Pós-graduação em Química, do Instituto de Ciências Exatas (ICEx).