Serviço digital do DCC rastreia fake news eleitorais

Conteúdos falsos veiculados nas redes sociais são monitorados por pesquisadores da UFMG
Via Portal UFMG

Ferramenta monitora anúncios no Facebook, grupos públicos no WhatsApp e percentual de robôs em 'trending topics' do Twitter

 

Fake news e conteúdos maliciosos disseminados pelas redes sociais, que influenciaram as últimas eleições nos Estados Unidos, também podem influenciar o voto dos brasileiros que vão às urnas, em primeiro turno, no próximo dia 7. Para detectá-los, o Laboratório de Computação Social, vinculado ao Departamento de Ciência da Computação (DCC) da UFMG, lançou, em abril, o serviço digital Eleições sem fake.

A iniciativa atua em três frentes de monitoramento: grupos públicos no WhatsApp, percentual de robôs em trending topics do Twitter e bancos de dados com anúncios de Facebook. O site também favorece análises das demografias das curtidas nas páginas do Facebook de cada um dos presidenciáveis e compara a cobertura de um mesmo assunto em diferentes sites noticiosos.

O coordenador do projeto, professor Fabrício Benevenuto, explicou o seu funcionamento em entrevista à TV UFMG. Leia mais sobre o assunto em notícia publicada pelo Portal UFMGEm artigo recentemente publicado no Boletim UFMG, o professor Virgílio Almeida e outros especialistas no assunto alertam para o advento de modalidade mais sofisticada de manipulação midiática.

Produção e reportagem: Júlia Calasans
Imagens: Cássio de Jesus
Edição de conteúdo: Pablo Nogueira
Edição de imagem: Otávio Zonatto

Última modificação em Terça, 02 Outubro 2018 11:50