Instâncias da UFMG manifestam-se sobre a destruição do Museu Nacional

Pesquisador retira peça dos escombros do Museu Nacional após incêndio que destruiu cerca de 90% de seu acervo

Em carta aberta, entidades propõem aos ministérios da Educação e da Cultura medidas de apoio aos museus universitários

Colegiados de cursos de graduação, programas de pós-graduação, grupos de pesquisa e a Rede de Museus da UFMG, entre outras instâncias, divulgaram nota pública em apoio ao Museu Nacional e em defesa do patrimônio cultural universitário. Localizada no Rio de Janeiro, a instituição teve cerca de 90% de seu acervo – o quinto maior do mundo – destruído por um incêndio na noite de domingo, 2 de setembro.

Segundo o comunicado, a tragédia decorre de processo de precarização da educação e da cultura no país. “Os museus não recebem investimentos suficientes para sua manutenção e garantia de suas funções primeiras. Do mesmo modo, os cursos que formam profissionais que atuam no campo do patrimônio são afetados pelo corte de verbas para as universidades públicas”, registram os signatários. Leia a íntegra da nota em formato pdf.

Nota museu nacional cursos, programas e entidades.pdf

Reivindicações
Em carta aberta aos ministérios da Educação e da Cultura, a Rede de Professores e Pesquisadores em Museologia, o Fórum Permanente de Museus Universitários e a Rede de Museus Universitários expressaram sua “solidariedade ao Museu Nacional e à Universidade Federal do Rio de Janeiro”. 

No comunicado, as entidades cobram atendimento imediato às demandas emergenciais solicitadas pela equipe do Museu Nacional, criação de programa orçamentário permanente para garantir recursos diretos para a manutenção e apoio aos museus universitários e composição de câmara permanente de apoio institucional aos museus, composta de membros do governo e da sociedade civil. Leia a íntegra da carta.

CARTA ABERTA.MUSEU NACIONAL (4).pdf