ICEx UFMG - Notícias do Icex
Publicado em: Notícias do Icex

Informamos que a Distribuição de Salas  2º semestre de 2018 já se encontra no sistema de reserva para verificar favor acessar o MINHA SALA 

 

Informamos também que as aulas do Departamento de Matemática iniciarão no dia 13 de agosto.

As disciplinas de Química Geral Experimental (laboratórios) iniciarão no dia 21 de agosto.

 

 

Publicado em: Notícias do Icex

Nossos cursos de graduação em Ciência da Computação e Sistemas de Informação obtiveram novamente o conceito máximo do ENADE, 5.

O Bacharelado em Ciência da Computação foi um dos 30 que obtiveram conceito 5 nacionalmente, em um total de 307 cursos de CC de instituições públicas ou privadas. O BCC obteve o maior conceito ENADE contínuo de todos os cursos de CC nacionais, e também o mais alto conceito contínuo dentre todos os cursos participantes da UFMG.

O Bacharelado em Sistemas de Informação foi um dos 11 cursos que obtiveram conceito 5 nacionalmente, em um total de 471 cursos de SI avaliados. No conceito ENADE contínuo, foi o 5º colocado nacionalmente, sendo superado nas decimais apenas por cursos com número baixo de concluintes (um curso com 2 concluintes, um com 7, e outros dois com menos de 18). O BSI da UFMG foi o curso com maior número de concluintes participantes dentre os cursos que obtiveram o conceito 5.

Ambos os cursos registraram aumento no conceito entre 2014, exame anterior, e 2017. Participaram 72 alunos do BCC e 70 do BSI. 

Portal do INEP - ENADE

Publicado em: Notícias do Icex
Sandra Goulart Almeida, Thaís Fontes, premiada,

Sandra Goulart Almeida, Thaís Fontes, premiada na área de Ciências Agrárias, Ciências Biológicas e Ciências da Saúde, e o seu orientador, Ricardo Santiago Gomez

Os pesquisadores Rodolfo Wanderson Lima Coutinho (Ciências Exatas e da Terra e Engenharias), Daniel Reis Silva (Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Artes) e Thaís dos Santos Fontes Pereira (Ciências Agrárias, Ciências Biológicas e Ciências da Saúde) são os doutores agraciados com o Grande Prêmio de Teses UFMG 2018, que reconheceu os melhores trabalhos defendidos no ano passado. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira, dia 18, em cerimônia realizada no auditório da Reitoria.

Os trabalhos foram escolhidos por comissão ad hoc instituída pela Câmara de Pós-graduação entre as 49 teses indicadas por seus respectivos programas, agrupadas nas três grandes áreas do conhecimento. Os autores desses trabalhos receberam diplomas. Além disso, três teses – uma de cada grande área – foram contempladas com menções honrosas.

Fábio Alves:
Fábio Alves: qualidade e impactoFoca Lisboa / UFMG

Narrativa
Em seu discurso durante a cerimônia, o pró-reitor de Pós-graduação, Fábio Alves, argumentou que um prêmio, como o UFMG de Teses, é mais do que um destaque ou reconhecimento. “É também uma narrativa individual e coletiva”, afirmou. No caso da UFMG, essa narrativa, lembrou ele, remonta ao ano de 1953 com a defesa da primeira tese de doutorado, desenvolvida na área de direito. Ao todo, informou, já foram defendidas na UFMG 28 mil dissertações de mestrado e 11 mil teses de doutorado. “No entanto, a nossa pós-graduação não se distingue pelo seu aspecto quantitativo. Ela é, sobretudo, qualidade, impacto e relevância social”, afirmou o pró-reitor.

A solenidade foi presidida pela reitora Sandra Regina Goulart Almeida, que destacou o “histórico de esforço institucional” em favor do fortalecimento da pós-graduação. “Por trás da concepção desse prêmio, sucessivas gerações se empenharam em construir a pós-graduação da UFMG e a consolidar os vários programas nas mais diversas áreas do conhecimento”, analisou.

Dirigindo-se aos premiados, a reitora afirmou que eles e seus predecessores são “exemplos de dedicação, tenacidade e superação. “Sabemos que não foi pouco o que vocês tiveram que abrir mão para chegar até aqui. Mais do que isso tudo, hoje vocês sabem que o futuro não é dádiva, mas conquista”, afirmou.

Sandra Goulart Almeida:
Sandra Goulart Almeida: legado de resistênciaFoca Lisboa / UFMG

Perplexidade
Após de fazer um rápido balanço das realizações e dificuldades da pós-graduação da UFMG em seus seis meses de gestão, Sandra Goulart Almeida dedicou o restante de seu pronunciamento à análise do atual cenário político do país. “Não poderia deixar de mencionar o momento decisivo e de grande perplexidade que vivemos, quando de súbito deparamos, atônitos, com a intolerância desmedida, com a violência gratuita, com atos de preconceito e de discriminação e com a escalada do discurso de autoritarismo e de repressão”, criticou ela, acrescentando que pessoas e instituições que moldaram a história brasileira, como as universidades, têm sido vítimas de “práticas antidemocráticas alicerçadas sobre calúnias e desrespeito”.

A reitora defendeu a construção de estratégias coletivas de resistência a um embate que, em sua visão, opera no campo material, caracterizado pelo "estrangulamento do financiamento da educação e das instituições públicas de ensino superior”, e no plano simbólico, representado pela tentativa de “minar o apoio, a autonomia e a legitimidade social de que gozam as universidades”.

Bastante aplaudida pela plateia que compareceu à cerimônia, Sandra Goulart Almeida garantiu que a Universidade mantém-se fiel ao seu legado de resistência. “A UFMG tem-se consolidado firmemente contra essas atitudes autoritárias e despropositadas. Estamos atentos e engajados na defesa da universidade pública, do investimento contínuo na educação, da saúde, da ciência, da tecnologia e da cultura e na construção de políticas de Estado que preservem o importante legado histórico e científico do país”, concluiu a reitora.

Rede de sensores
Rodolfo Wanderson Lima Coutinho é autor da tese Controle de topologia e roteamento oportunístico em redes de sensores aquáticas, na qual propõe modelos matemáticos, para investigar vantagens e desvantagens do projeto conjunto de protocolos de roteamento oportunístico e controle do ciclo de trabalho nessas redes.

Paraense, Rodolfo Coutinho graduou-se, em 2008, em Sistemas de Informação, na Universidade Federal do Pará, campus de Santarém. Em 2010, concluiu o mestrado em Engenharia Elétrica, com ênfase em Computação Aplicada. Na ocasião, os resultados de sua investigação sobre conjunto de redes sem fio e redes 4G repercutiram em várias conferências internacionais.

Em 2011, Coutinho ingressou no doutorado em Ciência da Computação na UFMG, sob orientação do professor Antonio Alfredo Ferreira Loureiro. Na Universidade de Ottawa, onde cursou doutorado-sanduíche, sua tese recebeu o prêmio Pierre Laberge como melhor trabalho na área de ciências. Coutinho também foi agraciado com o primeiro lugar no Concurso de Teses do Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos (SBRC).

Estratégia de negação
A tese Relações Públicas, ciência e opinião: lógicas de influência na produção de (in)certezas, de autoria de Daniel Reis Silva, do Programa de Pós-graduação em Comunicação, parte do conjunto de denúncias, realizadas nas últimas décadas, sobre uma vasta campanha de relações públicas, financiada por corporações do setor de energia, desencadeada com o objetivo de negar a existência do aquecimento global antropogênico. Considerando essa campanha como estratégia para ‘manufaturar dúvidas’, o trabalho, orientado pelo professor Márcio Simeone Henriques, reconstrói o histórico dessa dinâmica e reflete sobre suas lógicas.

Daniel Reis Silva graduou-se em Comunicação Social pela UFMG, em 2011. Também na UFMG obteve o título de mestre em 2013. Seu trabalho, O astroturfing como um processo comunicativo: a manifestação de um público simulado, a mobilização de públicos e as lógicas de influência na opinião pública, venceu o prêmio de melhor dissertação da Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação Organizacional e Relações Públicas (Abrapcorp) e foi publicado em livro.

Em sua trajetória, Daniel Silva envolveu-se com estudos do Grupo de Pesquisa em Comunicação, Mobilização Social e Opinião Pública da UFMG (Mobiliza) acerca do surgimento e da atuação de iniciativas de vigilância civil sobre práticas abusivas de comunicação.

Tumor fibro-ósseo
Na tese Estudo genético e epigenético do fibroma cemento-ossificante, Thaís dos Santos Fontes Pereira lança luz sobre alguns aspectos associados a um tumor odontogênico benigno, cuja origem e evolução não eram, até então, bem estabelecidos. O trabalho foi desenvolvido no âmbito do Programa de Pós-graduação em Odontologia. Ela foi orientada pelo professor Ricardo Santiago Gomez.

O fibroma cemento-ossificante é uma neoplasia que compartilha características clínicas e histopatológicas com outras lesões fibro-ósseas benignas e apresenta significativa morbidade devido ao seu alto potencial de expansão. Thaís Fontes investigou alterações genéticas e epigenéticas associadas ao desenvolvimento dessa doença. 

Thaís Fontes graduou-se em Odontologia na UFMG, em 2012. Dois anos depois, também na UFMG, conclui o mestrado em Estomatologia, no qual investigou o impacto da corticoterapia sobre a infecção bucal de cândida.

Ao longo de sua carreira, a autora colaborou em projetos de patologia clínica, com padronização, treinamento e execução de terapias. Participou também de estudos sobre regulação epigenética e avaliação do efeito do medicamento resveratrol na resposta inflamatória da meningite pneumocócica.

Thaís
A premiada Thaís Fontes e os professores Luiz Filipe Menezes Vieira, coorientador de Rodolfo Coutinho (Ciência da Computação), e Márcio Simeone, que orientou Daniel Reis Silva (Comunicação) Foca Lisboa / UFMG

Menções honrosas
Três teses também receberam menções honrosas na cerimônia desta quinta-feira. Bruno Ricardo de Carvalho, do Programa de Pós-graduação em Física, é autor do trabalho Raman spectroscopy in MoS2-type transition-metal dichalcogenides, orientado pelo professor Marcos Assunção Pimenta e coorientado por Cristiano Fantini Leite e Mauricio Terrones. A tese concorreu na área Ciências Exatas e da Terra e Engenharias.

Na área de Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Artes, a menção ficou com a tese Transitividade na esquizofrenia: comparação dos relatos orais de eventos psicóticos entre grupos clínico e não clínico, de autoria de Marcus Lepesqueur Fabiano Gomes, do Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos. Ele foi orientado pela professora Adriana Maria Tenuta de Azevedo, com coorientação de Antônio Márcio Ribeiro Teixeira.

A doutora Kênia Kiefer Parreiras de Menezes recebeu menção honrosa pela tese Fortalecimento muscular respiratório em indivíduos pós-acidente vascular encefálico, defendida no Programa de Pós-graduação em Ciência da Reabilitação. Ela foi orientada pela professora Luci Fuscaldi Teixeira-Salmela e coorientada por Lucas Rodrigues Nascimento. O trabalho concorreu na área de Ciências Agrárias, Ciências Biológicas e Ciências da Saúde.

Cerimônia foi realizada no auditório da Reitoria
Publicado em: Notícias do Icex
Resultado de imagem para Ivan Barbosa Machado Sampaio

O Diretor do Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais, Prof. Antônio Flávio de Carvalho Alcântara, convida V.Sa. para a palestra intitulada "De Extensionista Rural a Estatístico", em comemoração aos 50 anos de nossa unidade.

Data: 18/10/2018, quinta-feira
Horário: 16h
Local: Sala 4117 (Auditório do Departamento de Física - ICEx) 

Conferência
Professor Ivan Barbosa Machado Sampaio
Emérito da Escola de Veterinária

Resumo: Um estudante de engenharia agronômica relata uma sequência de fatos que o direcionou à área de Estatística, ao invés da inicialmente proposta de Extensão Rural. A partir desta experiência, sugere alternativas viáveis para a formação de consultores estatísticos em áreas biológicas.

Publicado em: Notícias do Icex

Em 2018 o ICEx comemora 50 anos. Tempo que fica marcado na história da UFMG e do Brasil. Nosso Instituto por onde passaram muias e muitos mestres, doutores e personalidades ilustres na história das ciências exatas. Em função de nossas comemorações reunimos um conjunto de fotos que compoe um mosaico de imagens dos primeiros pilares do ICEx. 
 
Apresentamos a vocês um conjunto de imagens que remetem a um periodo de primeiras tentativas e avanços para a consolidação do que veio se tornar hoje um dos maiores centros de ensino e pesquisa de ciências exatas do Brasil. 

 

Publicado em: Notícias do Icex
,,,,,,,

Em nota, Sandra Goulart Almeida e Alessandro Moreira repudiam mensagens falsas e atos de violência contra a comunidade universitária

Em nota divulgada hoje (segunda, 15, Dia do Professor) à comunidade universitária, a reitora Sandra Regina Goulart Almeida e o vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira parabenizam os docentes da UFMG, cujas trajetórias têm sido dedicadas “à promoção de um espaço plural de formação, ao aprendizado mútuo e à transformação pelo conhecimento”.

O texto também defende a Universidade brasileira, repudia atos de violência e preconceito que têm atingido a comunidade universitária e a sociedade como um todo e mensagens distribuídas por meio das mídias sociais "com o propósito de desqualificar as universidades públicas brasileiras”.

A reitora e o vice-reitor também reiteram o “inequívoco compromisso com os ideais democráticos, o Estado de direito e a justiça, a liberdade de expressão e cátedra, o bem comum e o interesse coletivo, o respeito à diversidade e aos direitos humanos”, ressaltando que a missão da UFMG é contribuir para “a transformação de pessoas que atuam na sociedade e que constroem o futuro que queremos para nossa Universidade, nosso país e as gerações vindouras”.

Leia o comunicado, na íntegra:

nota_dia do professor_151018.pdf

Andifes
Na última sexta-feira, dia 12, a Associação Nacional das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) manifestou, por meio de nota pública, sua preocupação com o aumento de episódios de intolerância e violência observados na atual campanha eleitoral, "constatados até no ambiente de nossas universidades, que, como espaço essencialmente democrático, devem ser lugar natural do embate de ideias, da diversidade, da argumentação, e não de agressão e intolerância".

"A Andifes vem assim externar seu firme repúdio à cultura do ódio e da violência, que ora ameaça a sociedade e as universidades públicas, por meio de constrangimentos, ameaças e agressões", afirmou a entidade no comunicado publicado em seu portal.

[Notícia atualizada às 13h01 com a informação sobre a manifestação da Andifes]

Publicado em: Notícias do Icex

Conteúdos falsos veiculados nas redes sociais são monitorados por pesquisadores da UFMG
Via Portal UFMG

Ferramenta monitora anúncios no Facebook, grupos públicos no WhatsApp e percentual de robôs em 'trending topics' do Twitter

 

Fake news e conteúdos maliciosos disseminados pelas redes sociais, que influenciaram as últimas eleições nos Estados Unidos, também podem influenciar o voto dos brasileiros que vão às urnas, em primeiro turno, no próximo dia 7. Para detectá-los, o Laboratório de Computação Social, vinculado ao Departamento de Ciência da Computação (DCC) da UFMG, lançou, em abril, o serviço digital Eleições sem fake.

A iniciativa atua em três frentes de monitoramento: grupos públicos no WhatsApp, percentual de robôs em trending topics do Twitter e bancos de dados com anúncios de Facebook. O site também favorece análises das demografias das curtidas nas páginas do Facebook de cada um dos presidenciáveis e compara a cobertura de um mesmo assunto em diferentes sites noticiosos.

O coordenador do projeto, professor Fabrício Benevenuto, explicou o seu funcionamento em entrevista à TV UFMG. Leia mais sobre o assunto em notícia publicada pelo Portal UFMGEm artigo recentemente publicado no Boletim UFMG, o professor Virgílio Almeida e outros especialistas no assunto alertam para o advento de modalidade mais sofisticada de manipulação midiática.

Produção e reportagem: Júlia Calasans
Imagens: Cássio de Jesus
Edição de conteúdo: Pablo Nogueira
Edição de imagem: Otávio Zonatto

Publicado em: Notícias do Icex

Resultado de imagem para professor MANFREDO DO CARMO

Professora Keti Tenenblat ministrará aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Matemática no ICEx. 

Kenia Tenenblat é professora da UnB. É uma matemática turca-brasileira que trabalha em geometria riemaniana, aplicações de geometria diferencial a equações diferenciais parciais, e geometria de Finsler. Obteve um doutorado no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada em 1972, orientada por Manfredo do Carmo

A professora Keti foi a primeira aluna de doutorado (1972) do professor Manfredo Perdigão do Carmo, falecido neste ano. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), membro do Comitê de Matemática do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CNPq), representante da área de Matemática e coordenadora da Comissão de Avaliação dos programas junto à CAPES. Possui várias publicações, entre livros e artigos de pesquisa em diversos tópicos na área de Geometria Diferencial publicados em periódicos especializados internacionais. Hoje é também editora-chefe da revista Matemática Contemporânea, publicada pela SBM.


É com prazer que recebemos a professora Keti Tenenblat. Ela ministrará a aula inaugural. Oportunidade ideal para compartilhar 

Palestrante: Profa. Keti Tenenblat
Título: O legado de Manfredo do Carmo
Data: 27/09/2018 às 16h45
Local: Auditório 3 do ICEx

Esperamos todos lá!

 

Publicado em: Notícias do Icex

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO N° 030/2018

O Diretor do Instituto de Ciências Exatas da UFMG, professor Antônio Flávio de Carvalho de Alcântara, no uso de suas atribuições, tendo em vista o disposto no Estatuto da UFMG e na Resolução nº 05/12, do Conselho Universitário, resolve convocar eleição para escolha de (02) dois representantes dos servidores Técnico-Administrativos para compor a Comissão de Avaliação de Desempenho dos Servidores Técnico-Adminitrativos em Educação do ICEx, a realizar-se no dia 08 de outubro de 2018,  (segunda-feira), nos termos especificados a seguir.

1. Serão eleitos 2(dois) representantes dos servidores Técnico-Administrativos em Educação;

2. De acordo com o Art.6º da Resolução 05/12, os servidores Técnico-Administrativos em Educação, deveram ser escolhidos por seus pares.

3. Os candidatos deverão se inscrever na Secretaria Geral do ICEx, até às 11h do dia   05/10/2018. 

4. Nas cédulas eleitorais os nomes dos candidatos serão apresentados na ordem de sua inscrição;

5. As eleições serão por escrutínio secreto;

6. Haverá uma urna coletora de votos em cada departamento, bem como na Secretaria Geral do ICEx. 

7. As eleições serão realizadas no horário de 9h às 11h e de 14h às 16h.

8. Compete ao Diretor do ICEx indicar o nome de 3 (três) servidores - professores e/ou funcionários - para comporem a junta eleitoral que funcionará na Secretaria Geral do ICEx;

9.  Compete aos Chefes dos Departamentos indicar o nome de 3 (três) servidores - professores e/ou funcionários para comporem a junta eleitoral que funcionará nas dependências do Departamento;

10. Compete às Juntas Eleitorais:
a) Coletar os votos dos eleitores lotados no Departamento aptos a votar e proceder a apuração dos votos; 
b) Adotar no âmbito do Departamento as providências necessárias para a realização das eleições;
c) Zelar pelo bom andamento dos trabalhos;
d) Lavrar a ata com indicação individualizada dos resultados obtidos.


11. As atas das juntas eleitorais deverão ser encaminhadas à Secretaria Geral do ICEx, até às 11h do dia 09-10-2018;

12. Compete à Secretaria Geral do ICEx apurar o resultado final das eleições, lavrar a ata correspondente e divulgá-la;

13. Serão considerados eleitos os candidatos mais votado, até o limite das vagas

14. Os mandatos dos representantes serão enquanto durar o processo de Avaliação de Desempenho dos Servidores Técnico-Adminitrativos em Educação do ICEx do ano de 2018.


Belo Horizonte, 21 de setembro de 2018.


Prof. Antônio Flávio de Carvalho Alcântara 
Diretor 
 ICEx-UFMG


Acesse o Edital em PDF
Clique Aqui

Publicado em: Notícias do Icex
.

Via UFMG 
Objetivo é desenvolver linguagem, imaginação e raciocínio por meio de atividades criativas

Coedição da Editora UFMG e da Fino Traço, o livro Ciências da natureza na educação infantil propõe questões como por que ensinar ciências para crianças menores de seis anos, que conceitos devem ser ensinados e como desenvolver com os alunos esses conceitos. As autoras são Maria Emilia Caixeta de Castro Lima, professora da Faculdade de Educação (FaE) da UFMG, e Mairy Barbosa Loureiro dos Santos, aposentada da mesma unidade e professora do UniBH.

As sugestões contidas na obra sintetizam as trocas feitas entre as autoras e professores que atuam em sala de aula ou estão se preparando para isso. O objetivo é oferecer ao professor múltiplas possibilidades de tratar, com as crianças, as curiosidades das ciências no mundo do dia a dia, ampliando atividades de forma criativa, divertida e eficiente. O material é preparado para estimular o desenvolvimento da linguagem, da imaginação e do raciocínio das crianças.

As autoras
Professora da Faculdade de Educação da UFMG, Maria Emília Caixeta de Castro Lima é licenciada em Química e mestre em Educação pela própria Universidade e doutora em Educação pela Unicamp. Na FaE, atua na Licenciatura em Química, na Licenciatura do Campo e no Programa de Pós-graduação. É consultora de diversas redes de ensino nos campos do currículo de química e ciências, avaliação da aprendizagem e formação continuada de professores.

Mairy Barbosa Loureiro do Santos, professora aposentada da UFMG, é graduada em História Natural pela Universidade e mestre em Ecologia pela Universidade de Brasília. Foi professora da PUC Minas e hoje leciona no Cecimig e no UniBH. Foi membro da Comissão do MEC para elaboração de padrão de qualidade de cursos de Ciências Biológicas e de avaliação de cursos das IES e coordenadora do curso a distancia de Educação Ambiental da Faculdade Senac/MG. Membro da Comissão de Vestibular da UFMG, atua ainda como consultora da Secretaria de Educação de Minas Gerais na elaboração de programas e cursos de formação continuada.

LivroCiências da natureza na educação infantil
Autoras: Maria Emília Caixeta de Castro Lima e Mairy Barbosa Loureiro dos Santos
Editora UFMG e Fino Traço
100 páginas / R$ 45

Com assessoria da Fino Traço Editora

Publicado em: Notícias do Icex

A Umei Alaíde Lisboa é fruto de convênio firmado entre a UFMG e a Prefeitura

Inscrições devem ser feitas até 28 de setembro

Estão abertas as inscrições para a seleção de crianças para as turmas de 2019 da Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Alaíde Lisboa, no campus Pampulha. O processo será realizado por meio de sorteio entre as vagas distribuídas em faixas etárias de 0 a 1 ano, de 1 a 2 anos, de 2 a 3 anos e de 3 a 4 anos. De acordo com a disponibilidade, serão ofertadas vagas em período integral ou parcial.

Para se inscrever, o pai ou a mãe deve pertencer à comunidade da UFMG, formada por docentes, discentes e servidores técnico-administrativos em educação. Caso haja vacância de vagas, elas serão destinadas aos filhos dos discentes com matrícula trancada ou com menos de 15 créditos, funcionários terceirizados e das fundações da UFMG. As crianças que tiverem irmãos matriculados na unidade terão preferência na matrícula.

Depois de matriculada, a criança garante sua vaga até 5 anos, idade limite de atendimento na Umei. Caso os pais percam o vínculo com a UFMG durante esse período, a criança não terá a vaga no ano seguinte.

As candidaturas de crianças nascidas entre 1º de julho de 2013 e 31 de março de 2015 deverão ser feitas no Portal da Prefeitura de Belo Horizonte. O endereço da UFMG deve ser informado durante a realização do cadastro. Os interessados deverão preencher formulário eletrônico e apresentar a documentação descrita na chamada pública na secretaria da Coordenadoria de Assuntos Comunitários (CAC), no prédio da Biblioteca Universitária. O prazo termina no dia 28 de setembro. O resultado será divulgado até 5 de novembro, por e-mail.

O sorteio está marcado para 13 de novembro, às 15h, na sala B504 do CAD 2. As crianças não selecionadas poderão participar da lista de espera. A matrícula deverá ser feita no período de 19 a 23 de novembro, na Umei Alaíde Lisboa.

Publicado em: Notícias do Icex
Pesquisador retira peça dos escombros do Museu Nacional após incêndio que destruiu cerca de 90% de seu acervo

Em carta aberta, entidades propõem aos ministérios da Educação e da Cultura medidas de apoio aos museus universitários

Colegiados de cursos de graduação, programas de pós-graduação, grupos de pesquisa e a Rede de Museus da UFMG, entre outras instâncias, divulgaram nota pública em apoio ao Museu Nacional e em defesa do patrimônio cultural universitário. Localizada no Rio de Janeiro, a instituição teve cerca de 90% de seu acervo – o quinto maior do mundo – destruído por um incêndio na noite de domingo, 2 de setembro.

Segundo o comunicado, a tragédia decorre de processo de precarização da educação e da cultura no país. “Os museus não recebem investimentos suficientes para sua manutenção e garantia de suas funções primeiras. Do mesmo modo, os cursos que formam profissionais que atuam no campo do patrimônio são afetados pelo corte de verbas para as universidades públicas”, registram os signatários. Leia a íntegra da nota em formato pdf.

Nota museu nacional cursos, programas e entidades.pdf

Reivindicações
Em carta aberta aos ministérios da Educação e da Cultura, a Rede de Professores e Pesquisadores em Museologia, o Fórum Permanente de Museus Universitários e a Rede de Museus Universitários expressaram sua “solidariedade ao Museu Nacional e à Universidade Federal do Rio de Janeiro”. 

No comunicado, as entidades cobram atendimento imediato às demandas emergenciais solicitadas pela equipe do Museu Nacional, criação de programa orçamentário permanente para garantir recursos diretos para a manutenção e apoio aos museus universitários e composição de câmara permanente de apoio institucional aos museus, composta de membros do governo e da sociedade civil. Leia a íntegra da carta.

CARTA ABERTA.MUSEU NACIONAL (4).pdf

Página 1 de 36