ICEx UFMG - Na Mídia
Publicado em: Na Mídia

teste

Publicado em: Na Mídia
Publicado em: Na Mídia

UFMG leva prêmio por "nanobastão de ouro"

Para mais informações acesse o link: http://clipping.interclipnet.com.br/interclipping1/conteudo/clipvisu.php?prm1[]=21759&prm2[]=pmis

Publicado em: Na Mídia

Solução mineira para tubos petrolíferos ganha prêmio Pesquisadores do Departamento de Química da UFMG são premiados pela Petrobras por apresentarem inovação para processo de extração do ''ouro negro''

http://www.em.com.br/app/noticia/tecnologia/2013/07/29/interna_tecnologia,428754/solucao-mineira-para-tubos-petroliferos-ganha-premio.shtml

Publicado em: Na Mídia

Com cientistas empreendedores, como o químico Rochel Lago, a Universidade Federal de Minas Gerais está se firmando como um dos mais ativos polos de pesquisa tecnológica do país.

Clipping UFMG

Publicado em: Na Mídia

 

Tornados nanométricos são o futuro das memórias de computador, afirma Bismarck Vaz da Costa

Leia mais:

http://www.ufmg.br/online/arquivos/020415.shtml

Publicado em: Na Mídia

wi-fi

 

DO JORNAL HOJE EM DIA

Pode não parecer tão importante, mas ter a certeza de que a rede Wi-Fi está protegida é essencial para evitar que terceiros utilizem o sinal sem autorização e até mesmo para manter a segurança do computador, evitando invasões de pessoas mal intencionadas. Para garantir que seu sinal está seguro, confira algumas dicas do professor titutal do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Wagner Meira Júnior.

Como perceber?

Segundo Júnior, os primeiros sinais de que o sinal está sendo usado por terceiros é que o comportamento da rede muda. A internet começa a ficar mais lenta ou apresentar falhas, ou endereços de sites digitados começam a ser redirecionados para outras páginas. Outro indício, segundo ele, é perceber que, na interface do roteador há outras máquinas conectadas que não apenas a do proprietário. Este último é mais perceptível para quem tem algum conhecimento na área de tecnologia.

Veja se alguém se conectou enquanto você não estava lá

Há formas de saber se alguém se conectou ao seu wifi enquanto você não estava em casa. Para isto, você precisa de uma informação do roteador: o endereço IP, uma série de números separados por pontos, de três em três. É possível encontrar este número no manual do roteador ou então no próprio computador. Há vários casos e programas operacionais que são verificados de diferentes formas. 

Se você tem um Mac, basta clicar no ícone de wifi e ir até o "abrir centro de redes e recursos compartilhados" no menu, depois ir até "conexão de área local" ou "conexão de rede sem fio". Vá até "detalhes", onde outra janela vai se abrir. O endereço IP identificado como "porta de link predeteminado IPv4" é o endereço IP do seu roteador.

Se o seu computador é Windows, vá até a "busca" e digite "ipconfig/all", depois "conexão LAN sem fio" e, por último, "endereço físico". Assim, poderá obter o endereço do roteador. Você precisa colocar este número em seu navegador, desta forma poderá acessar a rede do roteador. Após escrever a senha, você vai descobrir um registro das conexões feitas até este momento na sua rede wifi. 

Fique atento à sua senha

O acesso à rede deve ser limitado com senha e, de acordo com o professor da UFMG, ela não pode ser óbvia. O ideal é ter uma senha mais complicada e que também não fique pública. O proprietário da rede ainda deve trocá-la periodicamente. “Há casos de pessoas que invadem a rede, descobrem a senha e ainda publicam em blogs. Por isso é importante modificar esses códigos”, disse.

Atualizar o software do roteador

Da mesma forma que programas do computador são atualizados frequentemente, o do roteador também deve ser. Isso reduz a vulnerabilidade do aparelho, impedindo que pessoas invadam a rede. De acordo com o professor, hackers estão usando a falta de segurança dos roteadores para invadir as redes e roubar dados pessoais e senhas de banco. 

E se eu confirmar que meu Wi-Fi foi invadido?

Neste caso, o professor recomenda desligar o roteador e, ao religar, trocar a senha imediatamente. “É recomendado também pedir para um profissional de tecnologia da informação avaliar a máquina e ver se nenhum dado foi roubado”, pontua.